segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

E SE AMANHÃ FOSSE O SEU ÚLTIMO DIA DE VIDA?

O britânico Tim Wotton tinha apenas 17 anos quando recebeu dos médicos a notícia de que não chegaria aos 18 anos. Ele foi diagnosticado com fibrose cística, uma doença que pode comprometer os sistemas digestivo e respiratório rapidamente, diminuindo de forma considerável a qualidade de vida do paciente até levá-lo à morte.
No entanto, passados 25 anos, a previsão não se concretizou. Ele continua vivo e o principal: escolheu viver intensamente cada dia que ele acreditava que ainda lhe restava. Apesar de ter que enfrentar uma dura batalha contra a doença, que inclui o uso de medicamentos pesados, Tim não deixou que as palavras dos médicos significasse o seu fim, encarou a doença positivamente e a venceu a cada dia, durante todo esse período. “Cada hora é importante para mim, já que nunca sei quando meu tempo acabará. Ter fibrose cística é o que me faz ter sede de viver”, afirmou.
reflexão, ano novo, 2015 está chegando, e se amanhã fosse o seu último dia de vida

Mas, afinal, o que é “viver intensamente”? Na mente de um jovem com a idade que Tim tinha na época, a resposta provavelmente seria sair com quantas garotas conseguir, consumir todo tipo de drogas e bebidas ou algo semelhante. Mas ele priorizou o que era realmente valioso em sua vida. “Pela manhã, me visto como se cada dia fosse meu último na Terra e nunca deixo minhas roupas favoritas no guarda-roupa à espera de uma ocasião especial. Também não vejo necessidade de me ater às pequenas fofocas no escritório”.
Qualquer momento ao lado de sua família é extremamente valorizado por ele. “Este estilo de vida marca minha vida, porque é motivado pela possibilidade de eu morrer jovem. Hoje fico muito feliz quando simplesmente fico com ela. Isso é o que me dá a verdadeira sensação de aproveitar cada instante”, diz ele, que acorda o mais cedo possível nos fins de semana para brincar com o filho e sempre que pode sai com sua esposa.
E o que você tem feito?
Tim sabe que pode partir deste mundo a qualquer momento, já que sofre de uma doença considerada incurável pela medicina e isso o fez despertar para o que é essencial. “Por mais que eu odeie minha batalha diária pela saúde, isso me deu uma perspectiva sobre a vida que muita gente poderá nunca ter ou que só terá quando estiver no fim da vida”, explicou.
Contudo, essa não é uma realidade exclusiva de quem sofre de uma doença incurável, mas de todos nós, já que a morte é imprevisível, uma verdade esquecida por muitas pessoas. Será que você tem aproveitado com qualidade o seu tempo? Tem procurado estar perto de Deus verdadeiramente? Tem investido em seu crescimento pessoal com o mesmo afinco que investe no crescimento profissional? Que decisão você toma diariamente em favor do que é valioso?
reflexão, ano novo, 2015 está chegando, e se amanhã fosse o seu último dia de vida